Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Lutar, criar, Reciclagem Popular!
Ferramentas Pessoais
Acessar
This is SunRain Plone Theme
Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Blog Sudeste / #EuRecicloSP - Carnaval sem Catador e Catadora é lixo!

#EuRecicloSP - Carnaval sem Catador e Catadora é lixo!

por Setor de Comunicação MNCR publicado 09/02/2018 11h35, última modificação 15/02/2018 17h37
Nesse Carnaval 2018 fizemos a diferente: organizamos o Bloco da Reciclagem

No  último dia carnaval catadoras e catadores fizeram uma manifestação no Largo da Batata em São Paulo cobrando melhores condições de trabalho.Com cantos de ordem, disposição e alegria do nosso povo, denunciamos a falta de políticas públicas na gestão de resíduos sólidos e na inclusão social. Trabalhamos recolhendo gratuitamente o material gerado durante as festividades para mostrar como se faz o trabalho, reciclando 90% dos resíduos gerados no período.

A Prefeitura da cidade vem terceirizando o trabalho da coleta seletiva. Trabalho este, que deveria ser remunerado aos catadores, catadoras e cooperativas vem sendo direcionado às concessionárias.
Com esta ação arbitraria, foram suspensos e retirados pela prefeitura os caminhões gaiola de coletas, o que sustentava uma boa parte do trabalho das cooperativas.
A quantidade de material reciclável coletado pelas concessionárias entregues às cooperativas é muito pouco. Isso significa que o trabalho terceirizado vem sendo feito pelas metades e somos nós que pagamos a conta. Muitas famílias são dependentes dessa renda e muitas cooperativas estão fechando por falta de material.

A política do Prefeito Dória no projeto Cidade Linda está tirando o direito de trabalho desta categoria que em sua maioria é negra e feminina. As catadoras e as cooperativas estão perdendo o direito da coleta, da reciclagem e da venda do material para os empresários.
Após dois dias de carnaval de rua, as equipes de limpeza urbana recolheram cerca de455,38 toneladas de lixo, mas somente 9,14 toneladas de materiais foram destinados à reciclagem. Em vez de contratar o serviço de catadores e cooperativas a prefeitura instalou conteiners de coleta seletiva e pontos de entrega voluntária (PEVs) que não tinham capacidade de recolher nem 2% do resíduo que fora gerado.

A cada carnaval, milhares de pessoas saem às ruas deixando-as cobertas de resíduos – em sua ampla maioria, embalagens e materiais recicláveis. O maior problema disso é que quase nada é recuperado e praticamente TUDO vai parar no aterro sanitário, pois a Prefeitura de São Paulo não tem uma política eficiente de recuperação dessas matérias primas.

Os Catadores de Materiais Recicláveis fazem o que podem para limpar a cidade de maneira gratuita e sem apoio da Prefeitura da SP, que paga bilhões de reais para empresas descartarem quase a totalidade em aterros sanitários.

Nesse Carnaval 2018 vamos fazer diferente: organizamos o Bloco da Reciclagem - um bloco de trabalho e protesto para denunciar a situação precária de trabalho dos Catadores na maior cidade do país.

Vamos trabalhar gratuitamente limpando as ruas e mostrar que é possível fazer uma cidade sustentável na prática. Essa ação é de protesto para que os catadores de materiais recicláveis de São Paulo mostrem como limpar a cidade, com coleta seletiva e inclusão social.  

Será no dia 13 de fevereiro, a partir das 11 horas, na região do Largo da Batata, onde se concentram alguns blocos de carnaval de rua nesse período.

Os Catadores e Catadoras da Cidade de São Paulo, já há muito tempo vêm sofrendo com as políticas de desvalorização do seu trabalho, e dificuldade na implementação do Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PGIRS), em que os atores principais são os catadores e catadoras.

No início deste ano, todas as cooperativas tiveram suspensos o serviço de caminhões de coletas inviabilizando uma parte do trabalho dos Catadores. Esse trabalho, que deveria ser pago integralmente pela prefeitura, é sustentado apenas pelo material que os trabalhadores e trabalhadoras conseguem recuperar, uma situação insustentável devido a oscilação de preços no mercado de recicláveis.

Nossa categoria realiza a educação ambiental, relação direta com a população onde fazem as coletas e evitam que grande quantidade do lixo produzido pela população vá para os bueiros, rios e para o aterro sanitário. Mas este ano, a política do Prefeito Doria, de Cidade Linda está tirando o direito de trabalho desta categoria. Com a retirada dos caminhões gaiola, muitas sobreviviam com este instrumento para coletar os materiais recicláveis e levar o pão para sua família. Com esta ação, algumas cooperativas estão fechando por falta de material.

 

Campanha de financiamento coletivo: https://benfeitoria.com/blocodareciclagem

Fotos do Bloco dos Catadores: https://www.facebook.com/pg/catadores/photos/?tab=album&album_id=1667890879953965

 

registrado em:

Navegação